Connect with us

Comportamento

Você fica se comparando?

Published

on

se comparar

ALETEIA

A autoestima de muitas pessoas depende da sua comparação com os outros. Por outro lado, comparar-se com os outros pode ser considerado, desde que não seja feito de maneira compulsiva, uma tendência natural.

O efeito da comparação está relacionado com a proximidade da outra pessoa e com a importância que damos à característica em que somos comparados.

Por exemplo, ser derrotado por um irmão ou amigo em uma atividade na qual nos consideramos especialmente bons e na qual se destacar é algo importante para nós, é mais doloroso do que ser derrotado por um estranho, porque a proximidade aumenta a comparação social.

É natural que você se compare com os outros, mas se você fica obcecado com suas deficiências, ao invés de se concentrar nas áreas em que você se destaca, você está prestando atenção na coisa errada.

Isso pode prejudicá-lo e até mesmo impedir que você intervenha em muitos aspectos de sua vida.

Aposte em você!

5 dicas para aumentar o crescimento pessoal sem ter que se comparar com outros

1. Potencialize sua autoestima

A autoestima pode ser descrita como uma avaliação positiva ou negativa de si mesmo. Todos nós temos dias bons e ruins e, muitas vezes, a maneira como nos sentimos com nós mesmos muda diariamente para refletir os eventos. A autoestima também pode ser vista como um aspecto estável da personalidade que se desenvolve ao longo da vida.

2. Identifique seus comportamentos comparativos

O comportamento comparativo ocorre quando você se compara com os outros, independentemente de estarem em posição superior ou inferior. Em geral, você compara as características positivas ou negativas. Às vezes, as comparações sociais podem ser úteis, mas comportamentos comparativos negativos podem prejudicar sua autoestima e o desenvolvimento sereno de sua vida.

3. Concentre-se no que você tem

Quando você percebe que se comparar com os outros não o ajuda em nada, você procurará medidas adicionais de seu sucesso. Se você começar a sentir e expressar gratidão pelos dons que você tem, você vai parar de se concentrar nos outros e começará a se concentrar em você mesmo. Dedique mais tempo a focar-se no positivo e nas coisas boas da sua vida. Você começa a perceber que não está mais ocupado se comparando com os outros.

4. Compreenda que você tem o controle de sua vida

É muito difícil resistir à comparação com os outros, mas no final você tem o controle da sua vida. Você toma as decisões para dirigir sua vida de uma maneira particular. Você toma as decisões que são melhores para você e não para outras pessoas.

5. Compreenda o processo para mudar seus comportamentos e pensamentos

Todas as pessoas passam por etapas que levam à consciência de uma situação e de si mesmo. É um processo que tem como objetivo aceitar novos comportamentos.

– Contemplação: esta etapa envolve a consideração de fazer uma mudança na vida. A pessoa começa a pesar os lados positivos da mudança, apesar de estar ciente dos aspectos negativos da mudança.

– Ação: durante esta etapa, a pessoa se esforça para mudar o comportamento. Isso pode envolver a redução de certas atividades ou o aumento de outras, por exemplo. Uma vez tomada a decisão de mudança, devem ser tomadas medidas concretas.

– Manutenção: este estágio consiste em manter um nível de atividade que garanta que o comportamento tenha mudado e que ele permaneça desse jeito.

– Finalização: durante este estágio, o comportamento mudou de tal forma que a pessoa não experimenta recaídas, mesmo sob estresse, depressão, ansiedade ou outros estados emocionais. Trata-se de comportamentos que foram consolidados com hábitos.

Resumindo, lembre-se de que a comparação constante com os outros tende a diminuir sua autoestima e fazer com que você se sinta mal consigo mesmo.

Resista à tentação de se comparar com os outros, conscientizando os valores e os aspectos positivos atuais de sua vida.

Estabeleça metas que aumentem sua segurança e reaprenda os comportamentos que melhorarão não apenas a opinião e a estima de si mesmo, mas, acima de tudo, sua vida e contexto social, sem ter que comparar-se com os outros.

Continuar Leitura
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Facebook

Advertisement

Mais acessadas